6 ANOS LEVANDO AS NOTÍCIAS DA TERRINHA QUERIDA

AQUI, FÁTIMA NORONHA TRAZ NOTÍCIAS DE SUA PEQUENA BRAZÓPOLIS, CIDADE DO SUL DE MINAS GERAIS.

E-MAIL DE CONTATO: fatinoronha@gmail.com

31 de janeiro de 2016

MINHA TERRA DEVERIA CHAMAR SAUDADE – Fátima Noronha



Saudade dos velhos tempos em que eu era feliz e nem sabia.
Saudade dos intermináveis discursos do Sr. Zequinha  Gomes que ouvíamos, todos uniformizados, quietinhos em sinal de respeito.
O Hino Nacional cantado em frente à Bandeira do Brasil, todos em posição de sentido conduzidos pela D. Adolfina Faria. Tínhamos orgulho de nossa pátria, de nossos políticos, nossa bandeira...
Saudade dos saquinhos de doce que ganhávamos nas coroações de N. S. Aparecida, no Santuário. Do Corinho da Matriz, com a maestrina dona Ruth  Simões. Da missa das crianças, onde sentíamos mais importantes que os adultos.
Saudade de passear com as amigas dando voltas  no largo da Matriz enquanto os rapazes,  encostados na Igreja, flertavam com as moças.
Dançar de rosto colado no Clube Operário ao som de  “Fellings” com Morris Albert , Please don`t say goodbye com Chrystian  e tantas outras.
Saudade dos Bailes de Grêmio Operário 1º de Novembro, quando a cidade enchia de gente pra ver  a Rainha descendo  a Avenida em cortejo, toda linda  e orgulhosa com o aplauso do povo, rumo ao grandioso Baile.
Saudade dos carnavais do Clube Wenceslau , com nossos músicos tocando as marchinhas que o Zezinho Barbeiro e o Dimitre cantavam. Dos bailes maravilhosos onde íamos de vestidos longos e os rapazes de terno e gravata, recebidos com a simpatia do Seu Joaquim do Clube.
Das gincanas dos blocos no campo de aviação.
Saudade das festas juninas, das quadrilhas, do pau de sebo, correio elegante, casamento caipira...
Saudade do Bar do Gustavo, (nossa primeira “boate”) onde moça de família não devia frequentar, segundo nossos pais, mas mesmo escondidos íamos ouvir músicas gostosas, encontrar os amigos e tomar uma cuba libre ou um Hifi.
São tantas as saudades...
Saudade da D. Isaura e suas aulas de corte e  costura, da D. Lourdes Vergueiro e sua escola de datilografia, dos pirulitos da D. Julita, das torcidas da D. Rosa, do doce de batata da Geralda Cintra, do picolé de pistache do  Bar do Tronco, do chocolate de garrafinha, com licor dentro, do Bar do Tip Top, do Lambari frito do Onofre da Candinha, do pastel do Seu Geraldo, da bolacha preta da padaria do Marinho, do Biju de farinha do Seu Higino...
Saudade de brincar de pé na lata, pique esconde, amarelinha, boca de forno, passa anel, cobra cega, batata quente, bafo, alerta, corre cotia, dança das cadeiras...
Sim, eu era feliz, mas tudo passou... tudo virou SAUDADE...

28 de janeiro de 2016

Grupo de Capoeira Minas Brasil faz roda para arrecadação de agasalhos

Diversão, cultura e caridade. É isto que pretende o Grupo Minas Capoeira no 1o. GIMBA BRAZ.
Além da diversão que proporcionará aos presentes, o grupo estará arrecadando agasalhos para ajudar os necessitados para o o próximo inferno.
Tragamsuas contribuições.
o evento será na Praça da Matriz, próximo sábado, às 22:30 h



27 de janeiro de 2016

Matando a saudade dos velhos Carnavais

Banda " os foliões" que alegrava nossos carnavais no clube Wenceslau Braz
Arquivo de Jairo Nogueira

CORAL VOZES DE EUTERPE - Recompondo sua história para quem viveu seu nascimento - Newton Alfredo Ribeiro de Noronha


  
    __ Euterpe, minha filha, esta é a palavra que, conjugada, ou melhor, contraponteada com Vozes, poderá definir o nome que vocês estão procurando. Euterpe, filha de Zeus, era a musa protetora das artes, e entre elas, a música que na mitologia grega significa a melhor fonte do prazer. Junte Vozes com Euterpe e você terá Vozes de Euterpe, um nome pleno de significado para o coral que vocês estão criando. Este é um diálogo imaginário que tento criar entre pai e filha, no dia 12 de maio de 1962, quando Maria Alba Faria de Mendonça, pianista e cantora propôs em reunião, o nome para o coral. Bem, foi daí, isto é, do diálogo imaginário – que na verdade não era tão imaginário assim, a não ser pelas circunstâncias - que Waldemar Pereira de Mendonça, o grande maestro da Santa Cecília, compositor e instrumentista, autor do singelo Hino a Brasópolis, com letra de Alfredo de Oliveira Noronha, sugeriu o pomposo nome para o coral que hoje completa 50 anos, louvando e dignificando a arte pela dedicação de seus cantores que emprestam suas vozes numa completa doação de sua sensibilidade para o prazer de nossos ouvidos e de nossa alma.
    A idéia magnífica do moço José Resende Vilela, organista e cantor da matriz, frutificou em bom terreno, pois aquele coro que em 1960, 61 e 62, tentava reviver a arte pura de João de Oliveira Noronha, de Dona Assunção Braz Melo que acompanhava – nos idos de 1940 a 50 - ao harmônio as maravilhosas vozes de Ana Júlia Gomes, Dona Nefa Machado, Amanda Chaves, Maria José Chaves Noronha, Leonídia Pereira de Souza, Lourdes Vergueiro, Georgina Pereira de Oliveira, Aparecida Sandy e outras, que executavam as Ladainhas de João Batista Lehmann, nas rezas noturnas (não havia missa no período noturno nas paróquias, era proibido pelo Vaticano). Durante o mês de maio, havia as coroações e aquele coro da Matriz nos deixava, já como crianças, em êxtase, pela maviosidade de suas vozes e pela qualidade exuberante de suas interpretações; ele foi a semente prodigiosa da arte dos coros que deram frutos a mancheias e elevaram o nome de Brasópolis.

    Em 12 de maio de 1962, os cantores e cantoras, num total 14 homens e 26 mulheres, que se reuniram no salão de festas do Ginásio Brasópolis, para dar o primeiro fundamento concreto à criação do glorioso e festejado coral Vozes de Euterpe e fazer a primeira audição pública, foram José Resende Vilela, Maria Alba Faria de Mendonça, Newton Alfredo Ribeiro de Noronha, Georgina Pereira de Oliveira, Juca Sandy (José Inácio Sandy), José Flávio Simões, José Mauro Dias Cintra, José Vicente Mendes, Roberto Resende Vilela, Wanderlei Campos, Marcos Faria, João Mário Braga, Décio Faria Renó, Luiz Gonzaga Martins, Ruth Ana Simões, Edith Simões, Delma Veloso, Maria Regina Nogueira, Maria da Glória Rebelo, Maria Dinorá Mota, Maria Terezinha Toledo, Neuza Cintra, Lenita Simões, Ângela Dias, Afife Renó Abrahão, Maria Helena Lobo, Maria Dorotéa Sandy, Maura Venâncio, Glória Salgado Sandy, Vitória Régia, Maria Zélia Noronha, Marília Alvarenga Chaves, Maria Inez Ramos, Inês Maria Dias, Maria Célia Faria, Judite Pereira Serpa, Maria Aparecida Dias, Aparecida Toledo, Ana Maria Vergueiro e Benedita Fernandes.
    Esta é a história do Coral Vozes de Euterpe que nossos filhos, netos e a juventude Brasopolense precisa conhecer e valorizar; afinal, como Carl Jung afirma: “o homem nasce dentro de um contexto histórico específico com qualidades históricas específicas e, portanto, só é completo quando tem relações com essas coisas” e o presente se agrega à história, não tanto pela quantidade de produção, mas pela qualidade de sua ação social na história das comunidades.

Time de Brazópolis em Campos do Jordão - 1989

 Arquivo de João Paulo Dias

“Seu Voto é a sua Voz”

O voto, embora não seja garantia de eleger apenas homens de bem e de caráter ainda é a esperança que resta ao povo de eleger políticos comprometidos com a causa da nossa sociedade. Todo cuidado é pouco na hora de escolher. A tarefa não é fácil!
Mesmo analisando o passado e o presente de cada um deles, não podemos ter garantia de eleger aquele que será melhor para o nosso país.
O voto é muito importante em uma democracia. Somos nós cidadãos que vamos colocar no poder os nossos governantes. Se não escolhê-los bem, haverá prejuízos para você, seus familiares e para toda a comunidade.

Portanto, escolha bem seu candidato. O Procon não aceita reclamação e nem garante devolução...

FOTO: 4º MAGISTÉRIO - 1986

O perigo dos Pombos para a Saúde Pública


Os pombos são símbolos da paz e amor. No entanto, quando em grande número essas aves podem causar danos à saúde e ao ambiente. As principais doenças transmitidas pelos pombos são: criptococose, histoplamose, alergia, toxoplasmose, ornitose, samonelose, psitacose, coccidiose, candidíase, encefalite, pseudotuberculose, tuberculose avícola e mais 26 doenças registradas. Além de prejudicar a nossa saúde, os pombos também causam danos materiais, pois suas fezes ácidas corroem metal, descolorem pedras, apodrecem madeira, danificam superfícies e suas penas entopem calhas e ralos.
A facilidade de alimentação faz com que os pombos reproduzam com maior facilidade, aumentando rapidamente o número de aves nos centros urbanos que oferecem esta condição.Para acabar com esses problemas, há necessidade de que a população tome certas medidas de prevenção, levando em consideração que de acordo com nossa legislação é crime matar, apreender ou maltratar os pombos.Segundo a Lei 9605 do IBAMA, os pombos são considerados domésticos ou já domésticos, levando assim qualquer ação de controle que provoque a morte, danos físicos, maus tratos e apreensão, passível de pena reclusiva inafiançável de até 5 anos.Portanto, as medidas mais adequadas a serem tomadas são:- Quando for realizar a limpeza das fezes, deve-se molhar o local com água e cloro, deixando no mínimo uma hora. É necessária a utilização de botas, luvas, máscara, camisa de manga cumprida e calça.
Não alimente os pombos,tampe os acessos a forros, varandas para que os pombos não encontrem abrigo.
O controle de pombos na área urbana só será possível através da adoção dessas medidas por parte de toda população.

FOTOS: BRAZÓPOLIS NA PRIMAVERA...

É BONITA DEMAIS!!!




Saudade... loja Calçados Souza.



Quem passa ali pelas redondezas do Mercado Municipal sente que algo está faltando, um grande vazio.
Cadê a Loja de Calçados Souza? Cadê o cantarolar da Neuza Vichi, cadê o sorriso simpático da Teresa?
Lá não era apenas uma loja onde se vendiam calçados, era uma referência, era bem mais que isso... Ninguém passava por lá sem ao menos dar uma paradinha e conversar um pouco.
Neuza, sempre com seu bordado nas mãos, dando sua gostosa gargalhada, convidando a todos para uma prosa, contando as novidades...
Teresa, um exemplo de doação e companheirismo, sempre pronta a servir os fregueses e os amigos com simpatia e paciência.
Foram mais de meio século de trabalho, lutas, construções de amizades. Ali não faltavam palavras de estímulo àqueles que paravam por lá, não apenas para comprar calçados, mas também para contar seus problemas, contar suas alegrias, jogar conversa fora....
As portas se fecharam para um merecido descanso destas duas guerreiras. Qualquer comentário ou elogio a estas duas mulheres se faz necessário, mas as grandes amizades que fizeram durante suas jornadas falam por si mesmas.
Merecem aplausos e nós as aplaudimos com gratidão.
Obrigada Neuza, obrigada Teresa, vocês construíram uma parte importante da história de nossa Brazópolis e de nossas vidas.

POEMA - VALSA DA VIDA


No imenso salão do céu azul.
Espessas nuvens se espalham como flocos de algodão.
E se transformam em múltiplas bailarinas.
Que rodopiam conduzidas, pelos espíritos dos grandes maestros do passado.

E freneticamente bailam, sobre as montanhas sombrias.
Enquanto o sol pálido e triste, de longe espia o grande espetáculo!
Na orquestração da natureza, ouço ao longe a canção do vento...
Ressoando aos meus ouvidos, como as mais belas valsas de strauss!

De repente tudo é silêncio...
As nuvens se dissipam lentamente, sobre os meus olhos deslumbrados.
Cai os primeiros pingos de uma chuva impertinente.
É a vida que se renova!


Maria da Gloria Rebelo Faria

Dicas Para Escrever Bem

1 - Vc. deve evitar abrev., etc.
2 - Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, segundo deve ser do conhecimento inexorável dos copidesques. Tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico.
3 - Evite lugares-comuns assim como o diabo foge da cruz.
4 - O uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário.
5 - Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.
6 - Chute o balde no emprego de gíria, mesmo que sejam maneiras, tá ligado?
7 - Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.
8 - Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras, não fique repetindo a mesma idéia.
9 - Frases com apenas uma palavra? Jamais!
10 - Use a pontuação corretamente o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe mais usar o sinal de interrogação
11 - Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.
12 - Exagerar é cem bilhões de vezes pior do que a moderação.
13 - Não abuse das exclamações! Nunca! Seu texto fica horrível!!!
14 - Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língüa portuguêza.

25 de janeiro de 2016

VAMOS RELEMBRAR OS VELHOS CARNAVAIS

Marchinhas antigas dr carvaval

RETALHOS DE SERPENTINA – João Mário Braga Mendonça


(Marcha rancho)
Em outros carnavais
Eu tinha Colombina,
Que era tudo para mim...
Só restam desse amor
Retalhos de serpentina,
Colombina me deixou por Arlequim.
Lá vai o cordão
Mas falta Pierrô...
Ficou na distância
De um tempo feliz que passou...
Na rua ou no salão
Confetes são lembranças
Do amor-lança-perfume que acabou!
- IX FEMUCAR de Campos do Jordão – 1982

Fota de Brazópolis antiga


Ginásio Brazópolis em duas épocas (aqui nasceu o ex-presidente Wenceslau Braz).

Estações ferroviárias.
Distrito de Dias e Vila Braz


"ESTÁ PERIGOSO ANDAR A PÉ EM BRAZOPOLIS", DIZ UM SENHOR VISITANTE

Semana passada encontrei passeando pelas ruas de Brazópolis um senhor nascido aqui que de tempos em tempos vem nos visitar.
Eu o encontrei parado, perto do Fórum, como se estivesse sem rumo.
Fui cumprimentá-lo e ele me disse lastimando:
"Fátima, que estado lamentável está nossa cidade. Sempre que venho pra cá faço questão de passear por vários lugares, matando a saudade. Mas a cidade está suja, mal cuidada, feia.
Como vocês, que moram aqui, deixaram chegar neste ponto?
Estou aqui parado porque estou com medo de andar. Pela minha idade já não enxergo bem mais.
Tentei andar pela rua, mas não sei se vou pisar em um buraco ou numa pedra saltada acima do nível. As calçadas, são poucas as que estão bem arrumadas, a maioria tem mais buraco que calçada. Além disso estão colocando rampas altas nas calçadas, sem escadas. Por pouco não cai numa delas. Por não enxergar bem pensei que fosse a continuação da calçada, e não fosse um rapaz me alertar eu teria caído de uma altura bem razoável.
A cidade não está apenas abandonada, está suja, feia...
Já não tenho quase nenhum amigo vivo aqui para visitar e agora nem meus passeios a pé posso dar mais? Estou muito chateado com o que encontrei", reclamou ele, indignado.
Confesso que senti vergonha. Pois para um brazopolense naquela idade, saudoso, que ama Brazópolis, deve ser triste ver suas lembranças se acabando e, eu morando aqui, vendo tudo sem nada fazer.
Pedi até desculpas e ele me pediu que não deixasse a coisa piorar.
Ele me contou que segue o blog e que, apesar das reclamações que le lá, não imaginava que estava tão ruim.
Pensando depois, vi que ele tem toda razão. Que tipo de cidadão somos nós que, mesmo vendo tudo isso, nada fazemos?



23 de janeiro de 2016

IMAGENS: ENGRAÇADAS...OU LAMENTÁVEIS?






FOTO: Seminaristas brazopolenses - 1964

Foto tirada no Seminário de Paraisópolis, em 1964, pelo Pe. Lotário.
Arquivo de Moisés Diniz

21 de janeiro de 2016

Meninas, hoje já mulheres. Reconhecem?


PARADOXO - Rosa Noronha


SIMPLICIDADE - Renato Lobo


A rosa não tem porquê. Floresce porque floresce, quando floresce. Não se preocupa consigo nem deseja ser vista.
A simplicidade é nudez, despojamento, pobreza. Sem outra riqueza senão tudo. Sem outro tesouro senão nada. Liberdade, leveza, transparência. Simplicidade é o ar do pensamento, uma janela aberta ao grande sopro do mundo, para a infinita e silenciosa presença de tudo.
O simples não simula, não presta atenção a si, não calcula, não tem segundas intenções.
A simplicidade não é uma virtude da infância, mas uma infância como virtude: uma infância reencontrada, libertada de si mesma, da imitação dos adultos, da impaciência de crescer, da grande seriedade de viver, do grande segredo de ser si mesmo. É a infância do espírito, a que as crianças, mesmo, quase nunca têm acesso.
Olhai as aves do céu, considerai os lírios do campo...
Vamos aqui e ali, à procura de uma alegria por toda parte em migalhas, porque o saltitar do pardal é a única possibilidade de saborear Deus, caso ele esteja espalhado pelo chão. Tudo é simples para Deus, tudo é divino para os simples.
Nossas melhores ações são suspeitas, nossos melhores sentimentos, equívocos. O simples sabe disso e nem se importa. Ele não se leva a sério nem a trágico. Segue seu pequeno caminho, de coração leve, de alma em paz, sem objetivo nem impaciência nem nostalgia. O mundo é seu reino, e lhe basta. O presente é sua eternidade, e o satisfaz. Nada tem a provar, pois não quer parecer nada. Nada tem a buscar, porque está tudo ali.

20 de janeiro de 2016

18 de janeiro de 2016

AJUDEM ANA CLARA A DOAR SUAS CADELINHAS!

Ana Clara possui 3 cadelinhas de 1 ano e 4 meses.
Ela precisa doá-las.
Estão saudáveis , vacinadas d são dóceis.
Quem se interessar, por favor entrar em contato pelo celular (35) 98433-1312.









17 de janeiro de 2016

NOSSAS RUAS DE PARALELEPÍPEDOS ESTÃO SENDO DESTRUÍDAS...ISTO É CRIME!

Todos já estão cansados de saber que nossas ruas calças com paralelepípedos são tombadas.
O bem tombado não pode ser destruído, demolido ou mutilado.
Toda e qualquer intervenção sobre ele deverá ser aprovada e ter sua obra fiscalizada pelo órgão de proteção responsável pelo seu tombamento.
Cabe também ao cidadão a fiscalização da preservação destes bens.
Em menos de cem metros encontrei ruas a cimentadas e até caixa de gordura instalada na rua. Isto sem contar a "bagunça" em que está o nivelamento dos paralelepípedos.
Estou indignada.
São bens tombados!
Será que não entendem a importância disso?
Ou eu é que sou a chata?
Se nenhuma providência for tomada eu mesma terei o prazer de denunciar aos órgãos competentes.
Brazópolis não pode virar uma cidade sem lei!









VEM Aí O GINGABRAZ 2016




NOVO LUGAR PRA SE DIVERTIR EM BRAZÓPOLIS


CAROS EDIS: PODEM NOS EXPLICAR ESTES VALORES?

F








RECONHECEM ESTES GAROTOS?


PROGRAMAÇÃO CARNAVAL 2016 EM BRAZÓPOLIS



VEM AI O TRATORTO DA FOLIA NO CLUBE WENCESLAU BRAZ


ESCOLHIDO O NOVO BGB PARA O CARNAVAL 2016 DE BRAZÓPOLIS!

A AORT - Oficina Roda Terra- de Brazópolis, comunica que o grande vencedor para ser l novo BGB para o carnaval 2016, foi o músico representado pela figura do saxofonista Hélio Geraldo Nogueira (Burela).
A escolha foi feita com a votação do povo neste blog e na página do BGB do Facebook.
Músico da Banda "Santa Cecília" por mais de 40 anos, ele também foi uma figura muito atuante nos carnavais brazopolenses tocando por muitos anos no Clube Wenceslau, além de bandas carnavalescas nos carnavais de rua.


Eu, particularmente, bem como toda sua família agradecemos de coração a todos que deram seu voto ao nosso saudoso e tão querido Burela. Ele deve estar muito feliz.

Faleceu a jovem Luiza Stela Gonzaga

É com pesar que comunico o falecimento de Stela, técnica de enfermagem do Hospital São Caetano de Brazópolis.
Stela faleceu após complicações em uma cirurgia.
uma ótima profissional, mãe e esposa exemplar, vai deixar muita saudade.
A esposo, filhos e demais familiares, nosso sentimento de pesar. Que Deus conforte seus corações.
Vá em paz, Stela, que Deus a receba com muito carinho e amor!

10 de janeiro de 2016

8 de janeiro de 2016

O batedor de carteira digital

As pequenas empresas precisam ficar atentas. Elas estão entre os alvos preferidos dos golpistas digitais. Em um momento em que os negócios se apoiam cada vez mais na internet para se estabelecer e crescer, todo cuidado é pouco contra os larápios cibernéticos.

Pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostrou que 65,2% dos ataques eletrônicos ocorridos no ano passado direcionados às finanças foram cometidos contra pequenas empresas, ante 30,8% voltados a grandes corporações. Uma explicação para essa situação é que, na cabeça dos fraudadores, os negócios de pequeno porte são mais vulneráveis às suas investidas.

 O modus operandi dos cibercriminosos tem suas variações, mas no geral se resume em invadir os computadores da empresa e se apossar de dados para, num segundo momento, furtar dinheiro do empreendimento. Pode acontecer quando alguém na empresa abre um e-mail fraudulento ou entra em um site falso, liberando o caminho para um vírus se instalar na máquina. A partir daí, os golpistas têm acesso a senhas, logins, etc.

 O levantamento da Fiesp revela também que 13,1% dos pequenos negócios sabem que houve o ataque mas ignoram se foi bem sucedido ou não. Conclui-se que essas empresas estão despreparadas para enfrentar o problema e o responsável, por desconhecimento, acaba não tomando nenhuma providência.

 Para compensar um pouco, segundo a pesquisa, 95% dos empreendimentos de pequeno porte usam programas antivírus e outras tecnologias para se defender.

 Mas surge outra questão: não basta investir em tecnologia para ficar seguro, é preciso também adotar medidas relacionadas a processos e pessoas. Isso significa que o empresário deve adotar uma política de proteção e orientar seus funcionários. Uma prática simples é a troca periódica de senhas, evitando as fáceis e o uso das que vêm de fábrica, por exemplo. No entanto, o levantamento aponta que 68,1% dos empreendimentos de pequeno porte não obrigam a equipe a alterá-las com frequência. Só 16,6% treinam os colaboradores e apenas um terço (33,2%) adotam normas internas nesse sentido.

 O empresário não pode se descuidar. O dia a dia já apresenta obstáculos em bom número e ninguém merece ter a carteira batida digitalmente.

 Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP