5 ANOS LEVANDO AS NOTÍCIAS DE TERRINHA QUERIDA

AQUI, FÁTIMA NORONHA TRAZ NOTÍCIAS DE SUA PEQUENA BRAZÓPOLIS, CIDADE DO SUL DE MINAS GERAIS.

E-MAIL DE CONTATO: fatinoronha@gmail.com ou jornalajanela@yahoo.com.br

23 de abril de 2015

Meu namorado - Tânia Lucia Chaves Galvão


Queria um abraço
desses que se ganha ao portão
inocente, carinhoso,
como ao som de uma canção.

E dizer-te com um sorriso
que você é mais que amigo,
ganhar um beijo quente
é o que mais preciso!

Namoro das antigas,
pegar nas mãos
sentir seu toque suave
como se fossem cantigas.

Eterno que fosse
que me amasse por completo
de corpo e alma
sem mas ou porquês
sem mais talvez...

NOITE DO CACHORRO QUENTE! DIA 02/05/15


POBRES PREFEITOS - José Renato Nalini



Já foi mais sedutor o chamado para chefiar o Poder Executivo no município brasileiro. Antigamente, autoridade revestia outra simbologia. O Prefeito, o Presidente da Câmara, o Juiz, o Delegado, o Vigário e o Diretor do Grupo Escolar eram respeitados e festejados. A sociedade era relativamente estável. As cobranças por obras e feitos eram respeitosas. Isso porque na hierarquia dos valores, o trabalho ocupava espaço privilegiado. Quem queria casa primeiro comprava o terreno, suando para pagar as prestações. Depois era a luta da construção, para a qual podiam ser convocados parentes e amigos em mutirões. Não era incomum que o término da obra dependesse dos escassos ingressos financeiros. Mas quando alguém podia entrar numa casa resultante do sacrifício, dormia o sono dos justos.
Hoje tudo é diferente. Os direitos proliferam, se intensificam e legitimam reivindicações ruidosas. Todos têm noção de que o ordenamento jurídico, a partir da Constituição Cidadã, confere a cada ser humano direitos fundamentais que se explicitam em nada menos do que 78 incisos do artigo 5º do pacto federativo. Direitos exigidos sem contraprestação. Direitos a serem fruídos em plenitude.
Ora, ninguém mora na União, nem no Estado. Mora na cidade. Por isso, o Prefeito é o responsável por prodigalizar a fruição desses bens da vida.
Para lembrá-lo disso, existem instrumentos também acolhidos na lei. Ação Civil Pública, Mandado de Segurança, Cautelares Inominadas. A “era dos direitos” garante sua concessão a todos, indistintamente. Suplantou-se a fase de que o mérito do ato administrativo era insuscetível de apreciação judicial. Hoje, as políticas públicas são traçadas nos Tribunais.
O Município é a mais prejudicada dentre as entidades da Federação. A União arrecada muito - vide o “impostômetro” da capital paulista, incessante ao registrar o crescimento do Erário - e distribui pouco. Prestações que seriam federais, ou mesmo estaduais, recaem na conta do Prefeito.
Alguém pode dizer: mas no seu tempo, os Prefeitos morriam pobres. Essa é uma outra história. Hoje, os Chefes do Executivo de inúmeras cidades estão desesperados com a multiplicação das demandas da saúde, das moradias, das vagas em creche. E dizem por aí que em relação às Prefeitas, a situação ainda é pior.
Mesmo assim, há quem queira ser Prefeito no Brasil de nossos dias.

José Renato Nalini é presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo.

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A ANTOLOGIA DE POESIAS, CONTOS E CRÔNICAS MEMÓRIAS & PASSAGENS DE UM TEMPO.



O tema é livre.


Não há obrigatoriedade do material enviado para publicação ser inédito.

Dela poderão participar escritores brasileiros, residentes no Brasil ou não, maiores de 16 anos.

Serão dois volumes, no formato 14 x 21 cm, com aproximadamente 75 autores cada, organizada por nome de Autor, em ordem alfabética.

A antologia será lançada no mês de dezembro de 2015, no Espaço Scortecci, em São Paulo, Capital. Inscrições até 30 de setembro de 2015 ou até o preenchimento das 150 vagas, o que acontecer primeiro.

REGULAMENTO

Cada Autor poderá participar com um ou mais trabalhos de sua autoria, nos gêneros poesias, contos ou crônicas, em duas, três, quatro ou até o limite máximo de cinco páginas.

No cabeçalho de identificação de cada participante constará a biografia do Autor, até o limite máximo de 500 caracteres.

Informações complementares no corpo do formulário de Inscrição.

A antologia não é concurso e todos os inscritos terão seus trabalhos publicados, desde que em conformidade com as regras de participação.

Os trabalhos deverão ser em língua portuguesa, o que não impede o uso de termos estrangeiros no texto.

TAXA DE PARTICIPAÇÃO:

02 páginas - Preço R$ 300,00 - 2 parcelas de R$ 150,00 - 10 exemplares
03 páginas - Preço R$ 450,00 - 3 parcelas de R$ 150,00 - 15 exemplares
04 páginas - Preço R$ 600,00 - 4 parcelas de R$ 150,00 - 20 exemplares
05 páginas - Preço R$ 700,00 - 4 parcelas de R$ 175,00 - 25 exemplares

Cada autor receberá por sua participação na antologia 5 (cinco) exemplares da obra por cada página contratada.
Ficha de Inscrição

PROCEDIMENTOS ATÉ A LIBERAÇÃO PARA IMPRESSÃO:
Autor: Inscrição pela internet através do preenchimento do formulário de participação.

Editora: Diagramação do material enviado conforme formulário de participação.

Editora: Envio de cópia do material diagramado, em PDF, para revisão e liberação do Autor.

Autor: Revisão e devolução do material assinado pelo correio.

Editora: Envio dos boletos de cobrança, conforme participação e o número de páginas contratadas.

SOBRE O LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA:

Local: Espaço Scortecci, em São Paulo, Capital, no mês de dezembro de 2015, em data a ser posteriormente escolhida.

Os Autores participantes da antologia NÃO serão obrigados a comparecer ao evento de lançamento. Opcional, não obrigatório.

SOBRE A ENTREGA DOS EXEMPLARES DA ANTOLOGIA

Os Autores participantes poderão retirar seus livros de direito no dia do evento de lançamento ou posteriormente, no prazo de até 30 dias, na sede da Scortecci Editora, em São Paulo, Capital.

Poderão também optar de receber seus livros pelo CORREIO (PAC ou Encomenda Normal), pagando a taxa postal correspondente a cidade do destinatário.

Autores residentes em outros países deverão preencher o Formulário de Participação com um endereço no Brasil.

NÃO serão enviados livros para o exterior.

OBSERVAÇÕES GERAIS:
Não haverá reserva de vagas. Não haverá cessão de Direitos Autorais, ou seja, os trabalhos continuarão pertencendo a seus autores.

Os Autores participantes responderão legalmente e individualmente sobre plágio, publicação não autorizada, calúnia, difamação e não autoria, isentando a Scortecci Editora de qualquer responsabilidade sobre o conteúdo enviado para publicação na antologia.
Ao fazer sua inscrição o Autor ou Responsável Legal estará concordando com todas as regras, valores e prazos deste regulamento de participação.

Informações sobre a antologia MEMÓRIAS & PASSAGENS DE UM TEMPO serão publicadas no site da Scortecci ou respondidas, quando solicitadas, através do e-mail: antologia@scortecci.com.br

PROTESTOS NA ENTREGA DA MEDALHA DA INCONFIDÊNCIA NA CAPITAL!.

 GOVERNADOR DO PT MEDALHOU ATÉ STÉDILE.

Postado por Polibio Braga em 4/21/2015 05:35:00 PM  

Manifestantes foram às ruas de Belo Horizonte e de Ouro Preto (MG) neste feriado de Tiradentes para protestar contra a escolha dos homenageados que receberam a Medalha da Inconfidência.

A homenagem, principal honraria concedida pelo Estado de Minas Gerais, foi feita pelo governador Fernando Pimentel (PT), que entregou a medalha a 141 personalidades durante cerimônia na manhã desta terça em Ouro Preto.

Entre os homenageados estava o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, que recebeu o Grande Colar da Inconfidência. Em 2013, o homenageado foi o ex-presidente da corte, Joaquim Barbosa.

Durante o julgamento do mensalão, Lewandowski e Barbosa protagonizaram troca de farpas públicas. Em diversas situações, Lewandowski tomou posições a favor dos réus do mensalão enquanto Barbosa, contra.

O protesto foi organizado nas redes sociais por grupos como Vem Pra Rua, Movimento Brasil Livre, Basta Brasil, Brava Gente Brasileira, Movimento Pró Brasil, Minas Sem PT, entre outros. Muitos professores, que estão em campanha salarial, engrossaram a manifestação

Levando uma faixa onde se lia "A Inconfidência é dos brasileiros e não do PT", os manifestantes chegaram ao evento logo cedo, dizendo que o objetivo era repudiar a decisão de dar a Medalha da Inconfidência a "apadrinhados do PT de reputação duvidosa". Nas redes sociais, o grupo Vem Pra Rua afirmou que "Tiradentes é um herói que não merece essa afronta."

Alguns manifestantes batiam tampas de panela durante o discurso de Pimentel e Lewandowski. O governador chegou a dizer, ao iniciar seu discurso, que respeitava as vozes contrárias, mesmo que elas usem "palavras equivocadas".

Além de Lewandowski também foi homenageado João Pedro Stédile, presidente do Movimento Sem -Terra.

Em Belo Horizonte, o protesto começou na praça Tiradentes e seguiu em direção à praça Floriano Peixoto. Segundo a Polícia Militar, o ato reuniu 120 pessoas.

Ainda de acordo com a PM, o protesto foi pacífico e não houve confrontos.

Procurado pela reportagem, o governo de Minas afirmou que os homenageados são escolhidos por um conselho formado por representantes de entidades civis, professores, pesquisadores, historiadores, juristas e representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, "com plena independência de atuação".

"A definição dos homenageados, portanto, tem como critérios os relevantes serviços prestados ao Estado, dentro das respectivas áreas de atuação de cada agraciado", afirmou, por nota, a assessoria.

'INJUSTIÇADOS'

Durante a solenidade para entrega da Medalha da Inconfidência, o governador petista citou a história de Tiradentes para defender a presunção de inocência de réus, e criticou "justiçamentos" feitos para saciar "sede de vingança".

Em seu discurso, Pimentel afirmou que Tiradentes "foi punido pela conveniência de não se punir mais ninguém. Foi levado ao altar dos sacrifícios para saciar a sede de vingança dos poderosos da época".

"Todo réu é inocente até que sejam esgotadas todas as possibilidades de defesa. Isso não é um mantra contra os desmandos. É sim, um limite contra os desmandos, como aquele que afligiu Tiradentes", disse.

Sem mencionar diretamente julgamentos da história recente, como o mensalão, o governador afirmou: "Justiçamentos podem ser tudo, menos justiça. Justiçamentos podem saciar a voracidade do arbítrio, podem apetecer a gana das vaidades, mas jamais irão alimentar a fome de justiça".

Sobre o ministro Lewandowski, o petista disse que ele "já se mostrou fiel a mais sublime e nobre missão de um magistrado: ter a coragem de ir contra os aparentes consensos, guiado apenas pela solitária e genuína convicção da inocência ou da culpa, mas sem se deixar intimidar pelos clamores de um, de outro, ou de qualquer lado".

22 de abril de 2015

POSSE DE NOVOS FUNCIONÁRIOS DO SETOR DE OBRAS





Na manhã do dia 6 de Abril de 2015 o prefeito João Mauro recebeu em seu gabinete os funcionários do setor de obras que passaram no concurso publico, para tomarem posse. Na oportunidade o Prefeito parabenizou os novos funcionários, destacando a importância de seus trabalhos para o município, participando do concurso publico de forma democrática e imparcial, assegurando seu lugar no mercado de trabalho, ainda mais no setor publico que tem como principal foco a melhoria dos trabalhos voltados diretamente ao cidadão de nosso município.